Publicidade

Jogatina

por André Conti

Perfil O jornalista André Conti é editor de quadrinhos da Companhia das Letras e colunista da Folha

Perfil completo

Linux a vapor

Por André Conti
26/04/12 10:29

Vi essa no Rock, Paper, Shotgun (de onde também tirei a imagem): a Valve está preparando uma versão do Steam para Linux. O pinguim não é exatamente um sistema ideal para jogos, embora a comunidade se movimente na tentativa de provar o contrário. Ainda assim, o apoio das grandes desenvolvedoras é esparso, e quem costuma dar as caras por lá são os independentes. A entrada da Valve muda um pouco o jogo, mas vamos ver o quanto. No Mac, a loja causou rebuliço, só que agora concorre com a App Store.

E achei curiosa essa declaração dos repórteres que entrevistaram o Gabe Newell, chefão da Valve: “O grau de interesse e compromisso dele ao Linux é impressionante, mas ficamos espantados com a visão negativa quanto ao Windows 8 e ao futuro da Microsoft”. Se o histriônico sr. Newell está achando ruim, é bem capaz que seja um sucesso estrondoso.

  • Comentários
  • Facebook

8 comentários feitos no blog

  1. Manoel Jorge Ribeiro Neto comentou em 03/05/12 at 12:03 pm

    Também acredito que portar os jogos do Mac para Linux seja relativamente fácil, pois a principal diferença é com o servidor gráfico, como o Vinicius comentou antes. Além disso, o driver proprietário da NVidia para Linux tem suporte à engine PhysX (mas não sei se o mesmo ocorre com o driver para GPUs AMD/ATI), muito utilizada em jogos hardcore. Ou seja, é só questão de mercado mesmo que faz com que os grandes jogos não tenham suas versões para Linux. Mas, com a Steam para Linux, isso poderá mudar :-) .

  2. Bob Esponja comentou em 02/05/12 at 9:37 am

    É uma excelente noticia, eu em tempos consegui jogar CS em linux com recuros ao WineX, com algumas limitações e deu muito trabalho.

    • Vinicius comentou em 03/05/12 at 11:12 am

      Já eu jogo Diablo II perfeitamente via Wine… e nem precisa de uma super máquina, meu velho e falecido Centrino (que Deus o tenha) já dava conta… Espero que DIII tbm rode =D

  3. José Barbosa comentou em 26/04/12 at 8:05 pm

    André, qual seria exatamente a limitação do Linux, que não a mercadológica? O fato é que o desinteresse em utilizar o pinguim, que é graficamente tão ou mais poderoso que o windows (veja a comparação do compiz x aero) deve-se ao mercado. É a questão tostines: o Linux não ganha mais adeptos por não ter jogos, ou os jogadores não vão para o Linux pela falta de jogos? A única “vantagem” técnica do windows é o Directx, que está longe de ser uma tecnologia maravilhosa, mas que é imposta pelo mercado. notícia muito bem vinda, mas creio que até tardeamente, num momento em que acho que o grande filão do mercado são os jogos para portáteis.

    • André Conti comentou em 26/04/12 at 10:10 pm

      Quis dizer que não é um sistema ideal justo porque o apoio “oficial” é quase nulo. Mas todos esses últimos Kickstarters falam de ports para o Linux depois de uma determinada faixa de doação. Também acho que não seja uma questão de ser um grande filão, mas apenas uma plataforma “viável” comercialmente. Nesse sentido, um sistema de distribuição como o Steam, que dá lucro efetivo aos criadores, pode mudar as coisas.

      • Vinicius comentou em 03/05/12 at 11:15 am

        É a droga do DirectX mesmo… o engraçado é que jogos como os da Blizzard usam o directX no Windows e o OpenGL no Mac? Pq não adotar OpenGL pra tudo e direcionar o esforço necessário para o DX, para que se compile uma versão pra Linux? Não seria nada difícil, a partir da versão pra Mac, visto que ambos são Unix-Like (a diferença maior se dá no servidor gráfico – Xorg pra Linux e Cocoa para Mac, mas como a API do OpenGL é única…)

    • Vinicius comentou em 21/05/12 at 8:05 am

      O legal é que os jogos para portáteis podem tbm beneficiar o linux, já que a partir do kernel 3.3 a árvore de patches do android foi incorpororada ao kernel,abrindo possibilidade de rodar jogos e apps android compilados nativamente (sem dependência da dalvik) no linux… tbm seria possível no futuro, a criação de uma camada de emulação a la wine, que traduza as chamadas do Dalvik para uma máquina java padrão que rode sob o pinguim (ou mesmo o próprio Dalvik disponível pra linux)… crio que a possibilidade deste último depende apenas de o Google ganhar a batalha jurídica contra a Oracle… se perder tbm não será ruim, seria o primeiro passo pra arrancar essa porcaria de dentro do android….

  4. Paulo comentou em 26/04/12 at 7:34 pm

    Opa…excelente notícia.
    Vamos aguardar para ver…

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Folha Shop